24/02/2010

Nasa lança sonda para estudar o Sol

Uma sonda preparada para estudar o Sol foi lançada pela Nasa a partir do Cabo Canaveral, na Florida (EUA). O equipamento ficará em órbita durante cinco anos a uma distância de 35 mil quilômetros da Terra, de onde enviará dados para uma estação localizada no estado de Novo México, nos EUA. Por meio de fotos em alta resolução, os cientistas esperam descobrir como funcionam processos físico-químicos no interior do Sol. A sonda também vai medir a atividade do campo magnético solar.

11/02/2010

Motor de passo

*Esta postagem foi solicitada por uma leitora do Blog do Professor Carlão através do formulário de contatos. Participe também solicitando temas e postagens através dos comentários ou formulário de contatos. Pergunta: Gostaria de saber um pouco sobre a alimentaçao do motor de passo (Michele):


*O motor de passo é um tipo de motor elétrico que pode ser controlado por sinais digitais, tornando-o preciso e de recomendável utilização em aplicações que venham a requerer um ajuste fino de posicionamento.


*O motor de passo é um transdutor que converte energia elétrica em movimento controlado através de pulsos, o que possibilita o deslocamento por passo, onde passo é o menor deslocamento angular. Com o passar dos anos houve um aumento na popularidade deste motor, principalmente pelo seu tamanho e custo reduzidos e também a total adaptação por controle digitais. Outra vantagem do motor de passo em relação aos outros motores é a estabilidade. Quando quisermos obter uma rotação específica de um certo grau, calcularemos o número de rotação por pulsos o que nos possibilita uma boa precisão no movimento. Os antigos motores passavam do ponto e, para voltar, precisavam da realimentação negativa. Por não girar por passos a inércia destes é maior e assim são mais instáveis.


*Normalmente os motores de passo são projetados com enrolamento de estator polifásico o que não foge muito dos demais motores. O número de pólos é determinado pelo passo angular desejado por pulsos de entrada. Os motores de passo têm alimentação externa. Conforme os pulsos na entrada do circuito de alimentação, este oferece correntes aos enrolamentos certos para fornecer o deslocamento desejado.
Motores de passo unipolares são caracterizados por possuírem um center-tape entre o enrolamento de suas bobinas. Normalmente utiliza--se este center-tape para alimentar o motor, que é controlado aterrando-se as extremidades dos enrolamentos.


*Os motores bipolares exigem circuitos mais complexos. A grande vantagem em se usar os bipolares é prover maior torque, além de ter uma maior proporção entre tamanho e torque. Fisicamente os motores têm enrolamentos separados, sendo necessário uma polarização reversa durante a operação para o passo acontecer.
*Um motor de corrente contínua, quando alimentado, gira no mesmo sentido e com rotação constante, ou seja, para que estes motores funcionem, é necessário apenas estabelecer sua alimentação. Com o auxilio de circuitos externos de controle, estes motores de corrente contínua poderão inverter o sentido de rotação ou variar sua velocidade.


*Para que um motor de passo funcione, é necessário que sua alimentação seja feita de forma sequencial e repetida. Não basta apenas ligar os fios do motor de passo a uma fonte de energia e sim ligá-los a um circuito que execute a sequência requerida pelo motor.
*Existem três tipos básicos de movimentos o de passo inteiro e o de meio passo e o micropasso, tanto para o motor bipolar como para o unipolar. O de micropasso tem sua tecnologia não muito divulgada, e baseia-se no controle da corrente que flui por cada bobina multiplicado pelo numero de passos por revolução.


*A energização de uma e somente uma bobina de cada vez produz um pequeno deslocamento no rotor. Este deslocamento ocorre simplesmente pelo fato de o rotor ser magneticamente ativo e a energização das bobinas criar um campo magnético intenso que atua no sentido de se alinhar com as pás do rotor. Assim, polarizando de forma adequada os bobinas, podemos movimentar o rotor somente entre as bobinas (passo inteiro), ou entre as bobinas e alinhadas com as mesmas.


*Para que se obtenha uma rotação constante é necessário que a energização das bobinas seja periódica. Esta periodicidade é proporcionada por circuitos eletrônicos que controlam a velocidade e o sentido de rotação do motor. Por se tratar de sinais digitais, fica fácil compreender a versatilidade dos motores de passo. São motores que apresentam uma gama de rotação muito ampla que pode variar de zero até 7200 rpm; apresentam boa relação peso/potência; permitem a inversão de rotação em pleno funcionamento; alguns motores possuem precisão de 97%; possuem ótima frenagem do rotor e podem mover-se passo-a-passo. Mover o motor passo-a-passo resume-se ao seguinte: se um determinado motor de passo possuir 170 passos, isto significa que cada volta do eixo do motor é dividida 170 vezes, ou seja, cada passo corresponde a 2,1 graus e o rotor tem a capacidade para mover-se apenas estes 2,1 graus.


*Didaticamente falando, o sistema de controle se baseia em um circuito oscilador onde seria gerado um sinal cuja frequência estaria diretamente relacionado com a velocidade de rotação do motor de passo. Esta frequência seria facilmente alterada (seja por atuação em componentes passivos seja por meio eletrônico) dentro de um determinado valor assim, o motor apresentaria uma rotação mínima e uma máxima. A função "Freio" se daria simplesmente pela inibição do sinal gerado pelo oscilador. O próximo passo seria providenciar um circuito amplificador de saída, pois algumas aplicações exigem uma demanda de corrente relativamente elevada. Caberia ao circuito amplificador de saída fornecer estas correntes de forma segura, econômica e rápida. O circuito amplificador de saída seria constituído de transistores e/ou dispositivos de potência que drenam corrente em torno de 500 mA ou mais. Motores de passo geralmente suportam correntes acima de 1,5 Ampère. O amplificador de saída é o dispositivo mais solicitado em um projeto de controle de motor de passo. Devido às variações de trabalho a que pode ser submetido o motor de passo, um amplificador mal projetado pode limitar muito o conjunto como um todo. Um exemplo destas limitações pode ser facilmente entendido. Um motor de passo girando a altas rotações, repentinamente é solicitado a inverter sua rotação (como ocorre em máquinas CNC e cabeçotes de impressão). No momento da inversão as correntes envolvidas são muito altas e o circuito amplificador deve suportar tais drenagens de corrente. O torque do motor de passo depende da frequência aplicada a alimentação. Quanto maior a frequência, menor o torque, porque o rotor tem menos tempo para mover-se de um ângulo para outro.


*A faixa de partida deste motor é aquela na qual a posição da carga segue os pulsos sem perder passos, a faixa de giro é aquela na qual a velocidade da carga também segue a frequência dos pulsos, mas com uma diferença: não pode partir, parar ou inverter, independente do comando.


*Fonte: www.eletronica.org com adaptações.

08/02/2010

Endeavour de volta ao espaço

CABO CANAVERAL, EUA — O ônibus espacial americano Endeavour alcançou a órbita da Terra nesta segunda-feira, oito minutos e meio após o lançamento, rumo à Estação Espacial Internacional (ISS), com uma tripulação de seis astronautas para uma missão de 13 dias. O lançamento aconteceu às 4H14 locais (7H14 de Brasília) no Centro Espacial Kennedy, em Cabo Canaveral, Flórida (sureste), como estava previsto. Pouco antes de alcançar a órbita terrestre, o tanque externo se desprendeu da nave para cair na atmosfera, onde se desintegrará. Os dois foguetes propulsores, que proporcionam 80% do impulso durante os dois primeiros minutos de ascensão, se separaram como estava previsto para cair no Atlântico, onde serão recuperados. A espaçonave avançou em seguida a mais de 5.000 km por hora, acelerando a mais de 26.000 km por hora para entrar em órbita quando os três motores criogênicos esgotaram o combustível formado por hidrogênio e oxigênio líquido. Depois de alcançar a órbita a 225 quilometros sobre a Terra, o Endeavor iniciou a viagem rumo à ISS, a qual se acoplará na quarta-feira. A ISS está situada a 343 km de altitude. A missão de 13 dias do O Endeavour tem como objetivo transportar e instalar os últimos grandes componentes da ISS.
Fonte: AFP

05/02/2010

Inscrições para o ProUni

O Ministério da Educação anunciou nesta sexta-feira (5) que a primeira fase de inscrições para o Programa Universidade para Todos (ProUni) começa neste sábado (6). Os alunos usarão a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para fazer a inscrição. A média mínima nas cinco provas que o aluno deve ter para estar apto a concorrer é 400. São 165 mil bolsas disponíveis – 86 mil integrais e 79 mil parciais de 50% - em 1.399 instituições. A primeira fase será encerrada no dia 10, e a lista de pré-selecionados sai no dia 13. As matrículas serão feitas entre os dias 17 e 26.

No dia 4 de março, uma segunda etapa de inscrições será aberta. Ela vai até o dia 7, e o resultado será divulgado no dia 10.

Podem concorrer a uma das bolsas do ProUni alunos que não estejam ocupando outra vaga em instituição pública e que se encaixem nas faixas de renda determinadas pelo MEC. Para tentar uma bolsa integral, o candidato deve ter faixa de renda de até 1,5 salário mínimo por membro da família; no caso de bolsa parcial, essa faixa deve ser de até 3 salários mínimos por membro. As inscrições poderão ser feitas no site do MEC (www.mec.gov.br).

03/02/2010

Novos Lubrificantes Automotivos

A Radiex Produtos Automotivos apresentou novos produtos na linha de lubrificantes e entre os destaques está o Óleo para Engrenagem nas opções GL-4 e GL-5. O GL-4 é um lubrificante automotivo para engrenagens que exijam um desempenho API – GL-4, e viscosidade SAE 90. Possui base de óleo mineral, antidesgaste, antiespumante, antioxidante e anticorrosivo.

De acordo com a empresa, uma das vantagens do produto é a fácil aplicação, indicada para caixas de mudanças de veículos a diesel e caixas de mudança de carros de passeio e utilitários. Além disso, oferece proteção contra o desgaste das engrenagens, evitando a oxidação e corrosão da caixa de mudanças e seus componentes.

Já o Lubiex GL-5 é um óleo lubrificante direcionado para transmissões, câmbios e diferenciais, que possuem engrenagens que trabalhem em um regime rígido e alto torque. A aplicação é para caixas de mudanças de marcha e diferenciais de veículos a diesel, assim como para veículos utilitários. Sua fórmula foi desenvolvida para resistir às extremas pressões exercidas, principalmente nos dentes das engrenagens dos diferenciais. O GL-4 e o GL-5 estarão disponíveis em três opções de embalagem para o consumidor: 1 L, 20 L e 200 L.

01/02/2010

Du Pont promove curso sobre Fluidos Refrigerantes

A divisão de Fluidos Refrigerantes da DuPont promove nos dias 15 e 16 de março, um curso sobre Fluidos Refrigerantes Halogenados, também conhecidos como HCFCs e HFCs. A palestra vai mostrar peculiaridades e fundamentos técnicos que envolvem estes produtos, além de ensinar o correto manuseio do componente.

O evento será realizado no SENAI Ipiranga (Rua 1822, 76 - Ipiranga - São Paulo - SP), das 8h30 às 17h30. As inscrições estão abertas e podem ser efetuadas através do telefone (11) 4166-8649, ou pelo e-mail nilsa.p.melo@bra.dupont.com.

O curso é destinado para funcionários responsáveis pelo departamento de manutenção das empresas e também aos prestadores de serviços dos segmentos de climatização e refrigeração.

Busca Rápida

Leia mais...

Tubulação Carretel

Existem vários tipos de ligação entre tubos. A escolha do meio de ligação depende de muitos fatores, tais como: finalidade, localização, cu...