27/05/2013

Ciclista pode criar animações que aparecem nas rodas ao pedalar

Para quem gosta de andar de bicicleta principalmente no período da noite, uma empresa da Califórnia desenvolveu um sistema de luzes de LED que são colocadas nas rodas e que, ao pedalar, apresenta imagens coloridas ou animações. Este conteúdo que aparece nas rodas pode ser personalizado.
Chamado de Monkey Light Pro, da MonkeyLectric (clique aqui para acessar o site do Kickstarter), o sistema usa quatro fileiras de lizes de LED resistentes à água que são colocadas nas rodas. Um programa especial permite criar e transferir as animações para as luzes acopladas às rodas. A transferência é feita por meio de Bluetooth.
As luzes acendem ao alcançar uma determinada velocidade. A impressão é que as imagens são formadas na roda e que elas estão em movimento.
A MonkeyLectric tenta arrecadar US$ 180 mil no site de fundos "Kickstarter" para conseguir colocar o produto nas lojas. Faltando 55 dias para o final da campanha, a empresa já conseguiu obter US$ 85 mil.
As luzes serão vendidas - o preço ainda não foi definido - com algumas animações prontas, mas o usuário poderá adicionar suas próprias criações.
LEDs trazem animações para as rodas as bicicletas (Foto: Divulgação/MonkeyLectric)LEDs trazem animações para as rodas as bicicletas (Foto: Divulgação/MonkeyLectric)

15/05/2013

Robôs milimétricos podem evitar perda da visão


Cientistas da escola de robótica ETH em Zurique criaram pequenos robôs de um milímetro de comprimento e de um terço de milímetro de largura que, uma vez injetados nos olhos de um humano, podem ser guiados através de campos magnéticos.
Para isso, os pesquisadores cobriram os robôs com nano esferas feitas com uma tinta especial, que transforma os aparelhos em sensores de oxigênio. Quando expostos a uma certa frequência de luz, a tinta brilha. A fluorescência que desaparece rápido indica uma alta quantidade de oxigênio, a que demora mais para sumir mostra que há pouco oxigênio no ambiente.
Pesquisadores acreditam que, com a tinta sensível à oxigênio, os robôs poderiam indicar quando o fluxo sanguíneo para os olhos está comprometido - condição que pode causar perda da visão. Os testes atuais para medir o fluxo não seriam sensíveis o suficiente.
Robôs milimétricos ampliados na foto 
Por enquanto, os testes foram feitos apenas com os robôs na água, mas os próximos testes serão feitos em olhos de cobaias. O plano é injetar os robôs e direcioná-los para a superfície da retina. Para remover os robôs, uma agulha seria inserida no olho e as máquinas seriam atraídas para ela magneticamente.

+ Acessadas