18/12/2023

Sistemas Estruturais - Atividade Prática de Aprendizagem 2

Pergunta 1 De acordo com o exposto pela ABNT NBR 6118 (2003), nos projetos das estruturas correntes, a agressividade ambiental deve ser classificada de acordo com o apresentado no Quadro I e pode ser avaliada, simplificadamente, segundo as condições de exposição da estrutura ou de suas partes. 

Quadro I - Classes de agressividade ambiental

 

 Tendo como referências as informações acima, é correto afirmar que a agressividade do meio ambiental nas estruturas de concreto ou de suas partes está relacionada:
  Somente às ações físicas que atuam sobre as estruturas de concreto, independentemente das ações mecânicas, das variações volumétricas de origem térmica, da retração hidráulica e de outras previstas no dimensionamento das estruturas de concreto.
  Somente às ações químicas que atuam sobre as estruturas de concreto, independentemente das ações mecânicas, das variações volumétricas de origem térmica, da retração hidráulica e de outras previstas no dimensionamento das estruturas de concreto.
  Somente às ações mecânicas, às variações volumétricas de origem térmica, à retração hidráulica e outras previstas no dimensionamento das estruturas de concreto.
  Às ações físicas e químicas que atuam sobre as estruturas de concreto, dependendo das ações mecânicas, das variações volumétricas de origem térmica, da retração hidráulica e de outras previstas no dimensionamento das estruturas de concreto.
  Às ações físicas e químicas que atuam sobre as estruturas de concreto, independentemente das ações mecânicas, das variações volumétricas de origem térmica, da retração hidráulica e de outras previstas no dimensionamento das estruturas de concreto.
 
Pergunta 2 Leia o trecho abaixo e responda:

No método das forças é realizado com um sistema de forças que nos geram as equações necessárias para resolver o nosso esquema estático. O método dos deslocamentos deve ser trabalhado com um sistema de deslocamentos para conseguir essas informações.

Explique com suas palavras o que é engastamento perfeito.
 

 
 ATIVIDADE RESOLVIDA
 
     
    R$15,00
Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

13/12/2023

ATIVIDADE 4 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I - 54/2023

Se uma função f for derivável, então f ’ é chamada a derivada primeira de f (ou de ordem 1). Se a derivada de f ’ existir, então ela será chamada derivada segunda de f (ou de ordem 2), e assim por diante. As derivadas primeira e segunda de uma função carregam informações importantes, como: seja f uma função contínua no intervalo
a, b e derivável em (a, b).

i) Se f ’(x) > 0 para todo x ∈ (a, b), então f é crescente em a, b.
ii) Se f ’(x) < 0 para todo x ∈ (a, b), então f é decrescente em a, b. 

Agora: Seja f uma função derivável em um intervalo (a, b) e seja c um ponto crítico de f neste intervalo, isto é, f ’(c)= 0, com a < c < b. Se f admite a derivada segunda em (a, b) então:
i) Se f ”(c) < 0, f tem um valor máximo relativo em c.
ii) Se f ”(c) > 0, f tem um valor mínimo relativo em c.

Sobre as aplicações das derivadas primeira e segunda para obter possíveis pontos de mínimo ou máximo de uma função, observe a função a seguir: f(x) = -x + 15.x . Ao estudar a disciplina de Cálculo, Matheus se depara com tal função e precisa saber, caso exista, qual ou quais são os pontos de mínimo e/ou de máximo dessa função f(x). Ao fazer os cálculos usando a derivada primeira e a derivada segunda da função f(x), Matheus poderá encontrar os pontos de mínimo e/ou de máximo. Caso Matheus os encontre, tais valores serão:
0.
10.
15.
0 e 10.
10 e 15.

A aparência externa remete à borracha. Ninguém imagina, no entanto, que o pneu possa contar com tantos e variados componentes responsáveis pelo desempenho necessário para garantir, com segurança, todas as características exigidas por esse complexo produto. Ele é fabricado para rodar por milhares de quilômetros
em todos os tipos de estrada, em terrenos enlameados, pistas pedregosas, desertos e até terras geladas. A proporção dos itens na composição do pneu varia de acordo com seu uso. Por exemplo, nos pneus de automóveis de passeio, que rodam em estradas pavimentadas, a borracha sintética é mais usada que a borracha natural. Nos pneus de caminhões de carga, empregados em múltiplas estradas, predomina o uso da borracha natural, por sua maior resistência aos cortes e lacerações. A presença do negro de fumo ou carbono amorfo, derivado do petróleo, é fundamental em todos os compostos de borracha, porque confere resistência à abrasão e deixa o pneu preto. Além disso, é imprescindível o uso do enxofre, elemento vulcanizante, somado com vários outros produtos químicos, catalisadores, plastificantes e cargas
reforçantes. Com relação à fabricação de pneus, a função R(q) = -0,4q +400q expressa a receita R em reais, para a venda de q unidades de um tipo de pneu. Com base na função dada, assinale a alternativa que expressa, respectivamente, a quantidade de pneus vendidos para se ter a receita máxima e o valor da receita máxima:
Quantidade q = 100 e receita R$ 1000,00.
Quantidade q = 100 e receita R$ 10.000,00.
Quantidade q = 500 e receita R$ 10.000,00.
Quantidade q = 500 e receita R$ 100.000,00.
Quantidade q = 100 e receita R$ 1000.000,00.

Uma integral é dita indefinida quando não se conhece os limites de integração, ou seja, o intervalo no qual ela está sendo integrada. Exemplo: . Na integração indefinida, a função resultante será a função integrada F(x), sendo necessário somá-la a uma constante, chamada de constante de integração. Diferentemente da integral indefinida, os limites da integral definida já estão estabelecidos. Para resolvê-la, basta encontrar a integral da função em questão, e neste resultado substituir os valores dos limites superior e inferior. Como as constantes de integração são iguais, a integral definida é a subtração das funções primitivas substituídas pelos limites superior e inferior, neste caso (B e A, respectivamente). Com relação às definições sobre Integral Definida, observe a função a seguir: f(x)= 5x +7x-2. Calculando a Integral Definida dessa função em relação à variável x, nos valores 0 e 2, ou seja, teremos como resultado:
0.
-4.
10.
14.
23.

Uma das aplicações da Integral de uma função f ‘(x) é obter a função primitiva f(x) quando se tem a derivada, ou seja, f ‘(x). Ao fazer um trabalho em uma empresa, João sabe que a taxa de variação instantânea, a derivada, da função receita de um produto é dada pela função R ‘(q) = 3q , em que R representa a receita em reais, e q representa a quantidade de produtos vendidos em unidades. João precisa saber qual é o valor da receita quando se vende 500 unidades de tal produto. Assim, João faz a Integral da função R ‘(q) obtendo a função R(q) e a calcula no valor 500. Sobre o valor que João encontra após esses cálculos, assinale a alternativa correta:
500 + c.
125000 + c.
250000 + c.
500000 + c.
125000000 + c.

Como estudado na disciplina de cálculo, é possível determinar extremos, assim como os mínimos e/ou máximos de uma função utilizando as suas derivadas. Esses recursos podem ser úteis para se encontrar soluções de problemas que exigem os melhores valores possíveis de uma variável, e muito aplicáveis no cotidiano em problemas de otimização, otimização que é fundamental em qualquer meio aplicado afim de se descobrir mínimos ou máximos do que se está estudando ou trabalhando. Sobre a questão de mínimos e/ou máximos de funções, observe o gráfico a seguir. No gráfico, consta informações sobre mínimos e máximos de uma função. Sobre as representações expressas no gráfico, analise as afirmativas a seguir.
I. O maior valor da função f(x) acontece quando ela é aplicada no ponto f.
II. Sendo f(x) a função com o gráfico representado acima, a derivada segunda de f(x) calculada no ponto b, apresenta um valor positivo.
III. Sendo f(x) a função com o gráfico representado acima, a derivada segunda de f(x) calculada no ponto c, apresenta um valor positivo.
IV. Sendo f(x) a função com o gráfico representado acima, a derivada primeira de f(x), é igual a zero no ponto d.
V. O menor valor da função f(x) acontece quando ela é aplicada no ponto c.
É correto o que se afirma em:
I, apenas.
I e II, apenas.
II, III e IV, apenas.
IV e V, apenas.
I, III, IV e V, apenas

 
 ATIVIDADE RESOLVIDA
 
    R$12,00 NO PIX

    eng.carlosjfilho@hotmail.com
     
    R$15,00 NO CARTÃO DE CRÉDITO
Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

ATIVIDADE 4 - ENGENHARIA ECONÔMICA - 54/2023

Questão 1 Uma escolinha de futebol deseja investir na compra de equipamentos mais modernos que custarão R$30.000,00. A escola estima que a utilização dos equipamentos aumentará suas receitas em R$8.000,00 por ano. Sabe-se que a vida útil dos equipamentos é de 5 anos e que a taxa mínima de atratividade imposta pela empresa é de 8% a.a. Com relação ao exposto, analise as afirmativas a seguir:

I. A TIR do projeto é de 10,4%.
II. O projeto deve ser aceito.
III. O VPL do projeto é de R$ 1.941,68.
 
É correto o que se afirmam em:

Alternativa 1: I, apenas.
Alternativa 2: I e II, apenas.
Alternativa 3: II e III, apenas.
Alternativa 4: III, apenas.
Alternativa 5: I, II e III.

Questão 2 Uma empresa estuda a possibilidade de substituir um equipamento. Dispõe de duas alternativas mutuamente exclusivas: o equipamento X e o equipamento Y. Os fluxos de caixa estimados são os seguintes:
                          Tabela 1 - Fluxo de Caixa
      Ano 0     Ano 1     Ano 2
Equipamento X     R$ 100,00     R$ 1.000,00     R$ 200,00
Equipamento Y     R$ 90,00     R$ 300,00     R$ 1.400,00

No ano zero temos o investimento: o Equipamento X custa R$ 100,00 e o Equipamento Y custa R$ 90,00.
Considerando um custo do capital de 10% a.a., avalie as seguintes asserções e a relação proposta entre elas.
I. A melhor alternativa é o Equipamento X.
PORQUE
II. O VPL do equipamento X é maior que o VPL do equipamento Y.

Alternativa 1: As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa da I.
Alternativa 2: As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma justificativa da I.
Alternativa 3: A asserção I é uma proposição verdadeira, e a II é uma proposição falsa.
Alternativa 4: A asserção I é uma proposição falsa, e a II é uma proposição verdadeira.
Alternativa 5: As asserções I e II são proposições falsas. 

Questão 3 João comprou um celular em 1 + 4x de R$ 685,00 (uma entrada mais 4 parcelas de R$ 685,00). A taxa de financiamento desse pagamento foi de 3,7% ao mês. Qual o preço à vista desse celular?

Alternativa 1: R$ 3.289,16
Alternativa 2: R$ 3.089,16
Alternativa 3: R$ 3.189,16
Alternativa 4: R$ 3.389,16
Alternativa 5: R$ 3.489,16

Questão 4 Um engenheiro está analisando a seguinte opção de investimento:
Investimento inicial = R$ 26.000,00;
Resultado operacional no primeiro mês = R$ 10.000,00
Resultado operacional no segundo mês: R$ 18.000,00
Taxa de juros = 5% ao mês
Taxa de inflação = 3,5%.

Calcule o VPL e determine se esse investimento é viável ou não, assinalando a alternativa correta:

Alternativa 1: VPL = 1023,82, investimento viável
Alternativa 2: VPL = - 1023,82, investimento inviável
Alternativa 3: VPL = 9201,75, investimento viável
Alternativa 4: VPL = -9201,75, investimento inviável
Alternativa 5: VPL = 15774,43, investimento viável 

Questão 5 Um funcionário de uma cooperativa de investimentos deseja determinar o valor atual de uma série de 12 prestações mensais, iguais e consecutivas, de R$ 200,00, capitalizadas a uma taxa de 6% ao mês. Assinale a alternativa que apresenta o valor atual da série em questão, mais próximo do encontrado por esse funcionário.

Alternativa 1: R$ 1.676,77
Alternativa 2: R$ 1.767,65
Alternativa 3: R$ 1.345,76
Alternativa 4: R$ 1.625,89
Alternativa 5: R$ 1.725,89


 
 ATIVIDADE RESOLVIDA
 
    R$12,00 NO PIX

    eng.carlosjfilho@hotmail.com
     
    R$15,00 NO CARTÃO DE CRÉDITO
Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

06/12/2023

MAPA - PESQUISA OPERACIONAL - 54/2023 [RESOLVIDO]

01) Uma indústria de chocolate utiliza sua linha de produção para fabricar diferentes produtos: barras de chocolate(M1), bombom(M2) e chocolate em pó (M3). A linha de produção tem o comprimento total de 400 metros e é modular, de forma que a cada metro podem ser reorganizados para produção dos três produtos. Cada metro de linha utilizado na produção de barras (M1) utiliza R$ 2.000 de matéria prima e 15 hora-homem de trabalho, gerando um lucro de R$ 500,00. Cada metro de linha utilizado na produção de bombom(M2) utiliza R$ 1.500,00 de matéria prima e 28 hora-homem de trabalho, gerando um lucro de R$800,00. Da mesma forma, cada metro de linha de produção de chocolate em pó (M3) utiliza R$ 1.400,00 de matéria prima, 24 hora-homem de trabalho e dá um lucro de R$600,00. Você, gerente de processos da indústria, dispõe de R$ 800.000,00 em matéria prima e 7.200 hora-homem de Mão de Obra. Utilizando o solver, elabore um modelo de programação linear para calcular a alocação de produção dos vários tipos de produtos para maximizar o lucro total.
a) Apresente em excel os dados do problema e também o solver resolvido.
b) Em um parágrafo breve, descreva as etapas utilizadas para resolução do exercício, assim como descrevendo o resultado final obtido no solver.

​02) Você trabalha em uma empresa que produz refrigerantes, entretanto o foco da sua empresa é na qualidade da bebida e por isso as embalagens são terceirizadas. São 4 as empresas do qual você pode terceirizar as embalagens, vamos chamá-las de fábricas A, B, C e D. Cada uma produz as 3 diferentes embalagens de: garrafa pet, garrafa de vidro e latas. Sua empresa de refrigerantes tem uma demanda diária de 16.000 unidades de garrafas de vidro, 6.000 unidades de garrafas pet e 28.000 unidades de latas. O custo de produção diário de cada fábrica é o mesmo, no valor de R$ 400.000,00. Entretanto, cada fábrica produz proporções diferentes de cada embalagem: a fábrica A produz a cada dia 1300 garrafas de vidro, 800 garrafas pet e 850 latas; a fábrica B produz a cada dia 800 garrafas de vidro, 6.000 garrafas pet e 800 latas; a fábrica C produz a cada dia 100 garrafas de vidro, 100 garrafas pet e 1000 latas; a fábrica D produz a cada dia 5.000 garrafas de vidro, 200 garrafas pet e 500 latas.
a) Apresente em excel os dados do problema e também o solver resolvido.

b) Quais fábricas e quantos dias cada fábrica deverá operar para suprir os pedidos mais economicamente? Em um parágrafo breve, descreva as etapas utilizadas para resolução do exercício, assim como descrevendo o resultado final obtido no solver.

 
 ATIVIDADE RESOLVIDA
 
    R$60,00 NO PIX

    eng.carlosjfilho@hotmail.com
     
    R$63,00 NO CARTÃO DE CRÉDITO
Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

MAPA - TECNOLOGIAS DE CONSTRUÇÃO - 54/2023 [RESOLVIDO]

O canteiro de obras constitui um conjunto de instalações de apoio à construção de um determinado empreendimento, onde residem o escritório de construção, o processo produtivo e os trabalhadores. Para garantir um ambiente de trabalho saudável e confortável, ele deve ser planejado e medido antes do início das obras. O objetivo do planejamento do canteiro de obras é conseguir a melhor disposição dos materiais, obras e equipamentos necessários à implantação do projeto dentro do espaço disponível, sempre atendendo às recomendações da NR-18 (Norma Regulamentadora 18 – condições de trabalho e meio ambiente) na indústria da construção.

Segundo Araújo (1998), existem princípios que devem ser seguidos no planejamento de uma obra, como: integração, minimização de distâncias, disposição de áreas de armazenamento e locais de trabalho, aproveitamento de espaço, produtividade e flexibilidade. Para além destes fatores gerais, devem também ser levados em conta fatores específicos da natureza de cada projeto, nomeadamente: perfil, natureza, tipologia, localização, variedade de materiais e tipos de elementos construtivos, especialização da empresa, quem estará na força de trabalho e como será o mercado de trabalho local.

O planejamento referente à disposição do local de construção também implica na organização dos métodos e estruturas de segurança no local de trabalho. Estes métodos e estruturas englobam uma variedade considerável e requerem um planejamento particular, embora estejam conectados ao planejamento geral do layout e da logística do local de construção, devido as suas interações.

Em última análise, a eficácia da segurança no trabalho, a eficiência da produção e as condições de acomodação para os trabalhadores, que são os três principais pilares da gestão de um projeto de construção, sofrem quando o planejamento negligencia esses "pormenores", que constituem os aspectos físicos da execução do projeto. As áreas destinadas ao bem-estar dos trabalhadores fazem parte integral de um canteiro de obras e incluem instalações como banheiros, vestiários, alojamentos, área de refeições, cozinha, lavanderia, espaço de lazer e um posto de atendimento médico. De acordo com as palavras de Sampaio (1998), as áreas de bem-estar são zonas projetadas para atender às necessidades humanas básicas, como alimentação, higiene, repouso, entretenimento, convivência social e assistência médica, e devem ser fisicamente separadas das áreas de trabalho.

QUESTÃO 1
CONSTRUA UM TEXTO de 15 a 20 linhas explicando o que deve ser contemplado em um projeto de canteiro de obras, ou seja, o que deve ser especificado neste documento.

QUESTÃO 2
EXPLIQUE quais são as três fases de projeto de canteiro de obras. Exemplifique quais atividades podem ocorrer em cada uma delas.

QUESTÃO 3
Considere uma construtora que possui uma obra, cujo canteiro de obras conta com 125 colaboradores.

APRESENTE OS PARÂMETROS para o dimensionamento mínimo dos banheiros, chuveiros, bebedouros e refeitório de acordo com a NR18 e DETERMINE qual a quantidade mínima para compor este projeto.

 
 ATIVIDADE RESOLVIDA
 
    R$60,00 NO PIX

    eng.carlosjfilho@hotmail.com
     
    R$63,00 NO CARTÃO DE CRÉDITO
Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

MAPA - PROJETO ARQUITETÔNICO - 54/2023 [RESOLVIDO]

OBJETIVO DO EXERCÍCIO
Este exercício da disciplina atua como formação complementar aos conteúdos tratados durante todo o livro, despertando no aluno a formação de repertório técnico/construtivo, o interesse pelos pequenos detalhes de uma edificação e a sua representação gráfica (desenho técnico) e projeto de arquitetura.
Todos os temas tratados são diretamente relacionados a disciplina de Projeto Arquitetônico que se propõe a desenvolver projetos de habitação unifamiliar de pequeno porte, a fim de apresentar ao jovem iniciante os elementos e condicionantes que fundamentam tais projetos. O tema “casa” é aquele mais próximo da realidade vivenciada pelo aluno, e cujo programa é facilmente reconhecido tanto quanto as nuances relacionadas a fluxos e dimensão, materiais e soluções construtivas. Desta forma, os desenhos a serem representados serão captados diretamente no contexto residencial, no ambiente familiar, partindo do princípio que a casa é o primeiro “laboratório” edificado e conhecido pelo aluno.

JUSTIFICATIVA
Para projetar uma edificação o profissional arquiteto necessita recorrer a um repertório de soluções previamente conhecida e vivenciada a fim de fundamentar suas decisões projetuais baseado em casos reais. A partir daí o aluno será capaz de inovar e experienciar novos desafios. Para o jovem estudante, a casa é também o seu primeiro contato com uma edificação e é nela que deverá iniciar seus experimentos, percebendo soluções construtivas, escalas, materiais, dimensões e proporções, assim como erros e acertos construtivos ou de uso.

OBJETO DE ESTUDO
Buscar uma edificação térrea Unifamiliar em sua cidade de no mínimo 70 m2 (metros quadrados) e no máximo 100 m2 (metros quadrados) para realizar seu levantamento técnico.
Buscar de uma residência Unifamiliar na sua cidade, onde você irá realizar um levantamento de todas as medidas e elementos construtivos, anotando em desenhos rascunhos e fotografando todas os ambientes, fachadas externas e terreno.
Apresentar o levantamento com geolocalização, endereço, indicando quadra, lote e bairro, orientação solar e imagens realizadas quando realizado o levantamento. E uma imagem sua com a fachada da residência.
Realizar os desenhos técnicos (planta baixa, 2 cortes, 1 elevação e planta de implantação com a cobertura.

Pense em escolher uma edificação de uma pessoa que você tenha fácil acesso. Pois talvez precisará voltar, se acaso faltar alguma informação.

METODOLOGIA
Em atenção aos objetivos e justificativa da disciplina, caberá ao aluno sob orientação da professora, fotografar detalhes construtivos existentes em sua casa, conferir medidas e materiais, e representá-los através de desenho técnico.
As fotos, geolocalização, informações de lote, bem como os desenhos técnicos deverão ser representados em prancha A3 sulfite ou similar, impresso ou desenhado a mão com material de precisão, contendo cotas e especificações.
Apresentar Imagens do levantamento e uma sua executando esta tarefa. (levantamento e desenhos).
O aluno deverá scanear todos os desenhos, e inserir junto a outras informações, depois gerar um único arquivo para enviar pelo Studeo.

FONTES PARA CONSULTA
Os exemplos para os desenhos a serem elaborados serão apresentados em aula pela professora, e como complemento se poderá pesquisar nos links a seguir:
Galeria de Casa Local / Zen Architects - 18 (archdaily.com.br)
Casa Varanda – Rio de Janeiro – RJ | mdc . revista de arquitetura e urbanismo
https://mdc.arq.br
https://www.ufrgs.br/casacontemporanea/
Casa Pirajá / Estúdio BRA | ArchDaily Brasil

REPRESENTAÇÃO TÉCNICA DO PROJETO

TODAS AS FOLHAS DEVEM SER APRESENTADAS EM ORIENTAÇÃO PAISAGEM
TER MARGEM E NO CANTO DIREITO INFERIOR
APRESENTAR
NOME- RA- NOME DA DISCIPLINA E DO PROFESSOR- UNIVERSIDADE- NÚMERO DA FOLHA.

ETAPA 1 - FOLHA 01 –
Memorial- Breve descrição da construção escolhida.
Imagens do levantamento.
Você precisa apresentar a localização do seu terreno na quadra.
Para isto é feita a Situação Esquemática. (sem Escala)

Figura 1: Desenho da Situação esquemática e Localização do lote.

Fonte: Autora (2023). Fonte: Google Maps(2023).

ETAPA 1- Planta baixa
Os desenhos podem ser feitos à mão ou com auxílio de software computacional de sua preferência (AutoCAD, SketchUP etc.);
Todos os projetos precisarão ser devidamente cotados;
Os desenhos (Planta baixa, cortes e Fachadas) devem ser entregues em escala 1:50;
A Planta de implantação e cobertura deve ser entregue na escala de 1:125 ou 1:200;
Na Planta baixa, dentro de cada cômodo precisa constar: nome do cômodo, área do cômodo e piso, além da identificação do desnível do piso para áreas molhadas;
Para as plantas baixas- É obrigatório desenhar as peças sanitárias (vasos sanitários, torneiras, chuveiro) nos banheiros e lavanderia. Na cozinha é obrigatório indicar o posicionamento da bancada com a cuba e torneira, fogão e geladeira;

As pranchas entregues devem ser em tamanho A3, sendo necessariamente um desenho em cada folha ou uma folha para cada etapa,

Toda e qualquer escrita feita deve ser feita em escrita técnica. É proibido o uso de letra cursiva;

ETAPA 2 - Cortes
A partir da planta baixa desenvolvida na Etapa 1, você deve desenhar dois cortes, em diferentes sentidos, seguindo as diretrizes:
Um dos cortes deve passar, obrigatoriamente, por um dos banheiros; indicar nível interno e externo da construção;
Representar o muro em corte;
Os cortes devem estar devidamente cotados;
É obrigatório desenhar as peças sanitárias (vasos sanitários, torneiras, chuveiro) nos banheiros, lavanderia e cozinha, desde que sua representação corresponda ao campo de visão do corte inclusive a hachura dos revestimentos indicando sua altura;
Portas e janelas devem ser representadas em vista ou em corte (se em corte, sempre cotar, peitoris e alturas das janelas);
Em todos os cômodos deve constar: o nome do cômodo e nível do piso.
E a cobertura deve ser representada em corte, e indicadas a inclinação do telhado, tipo de telha ou laje; Represente o beiral em corte;
Os cortes devem estar em folhas separadas da planta baixa, podendo ser um corte em cada folha ou os dois cortes em uma única folha, desde que a escala seja mantida e o layout fique organizado;
Junto da planta baixa residencial.
Você deverá apresentar o ORGANOGRAMA/FLUXOGRAMA da residência (você pode conferir como fazer nas aulas conceituais ou em seu livro didático o exemplo de organograma na página 62).

ETAPA 3 - Fachada

A Fachada frontal da construção deve ser representada.
Ela deve ser apresentada como uma vista frontal. (não é perspectiva)
O desenho da Fachada deve ter indicações dos materiais e cores de acabamentos, esquadrias e alvenarias através de linhas de chamadas.

Você pode colocar nesta mesma prancha sua foto na frente da construção mostrando a fachada e você.

Fonte: https://www.imoveisderiopreto.com.br/cdhu-sorteia-200-casas-em-sao-jose-do-rio-preto-e-entrega-outras-114-na-regiao/
Acesso em julho de 2023.

ETAPA 4 -Implantação e Cobertura
A partir dos projetos desenvolvidos nas etapas anteriores, você agora deve desenhar a planta de implantação e cobertura, seguindo as diretrizes:
Deve constar na planta a inclinação e o tipo de telha utilizada na cobertura;
Deve constar a projeção da caixa d’água;
A planta de implantação deve estar devidamente cotada o perímetro da construção, assim como seus recuos (frontal, laterais e de fundo) do terreno;
A planta deve estar em uma folha separadas da planta baixa e dos cortes;

Deve estar identificado na planta de implantação:
O alinhamento predial;
Áreas permeáveis e suas dimensões;
Altura do muro;
Indicação de acesso à edificação
Presença de árvores e outros elementos alocados no passeio público, caso haja.
Para esta atividade, não é necessário a representação de fossas, sumidouros, caixas de inspeção e gordura, calhas e demais elementos hidrossanitários, com exceção da caixa d’água.


 
 ATIVIDADE RESOLVIDA
 
    R$60,00 NO PIX

    eng.carlosjfilho@hotmail.com
     
    R$63,00 NO CARTÃO DE CRÉDITO
Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I - MAPA [RESOLVIDO]

Matheus é um engenheiro de uma empresa e tem em mãos algumas informações relacionadas a um certo produto. Infomações como a receita, que é dada por R(q) = -2.q2 + 1000.q, em que R representa a receita de um produto e q a quatidade vendida. Sabe-se também o custo para se produzir o produto, que é dado por C(q) = 200.q + 35000, em que C representa o respectivo custo e q a quantidade produzida.

Com essas informações, Matheus precisa fazer um estudo sobre tal produto e, com isso, obter informações, como:

a) Quando não se produz nada do produto, existe algum custo para a empresa? Se existir, qual é o seu significado?

b) Calculando o custo e a receita nas quantidades 50 e 350, qual valor se obtém? Qual o signficado do resultado obtido?

c) Sabendo que o lucro para esse produto pode ser obtido pela diferença entre a receita e o custo, qual função pode representar o lucro desse produto?

d) Calculando o lucro para a venda da quantidade 61 e subtraindo do lucro para a venda da quantidade 60 unidades, temos o lucro da venda da unidade 61°. Qual é esse lucro?

e) Se for feita a Derivada da função lucro, qual função é obtida?

f) Calculando a derivada da função lucro no valor 60, qual resultado se obtém?

g) Comparando o resultado obtido na letra d com o resultado obtido na letra f, tais resultados são próximos ou não um do outro?

h) Fazendo a Integral da função obtida na letra e, obtem-se qual função?

i) Calculando a função obtida na letra h nos valores 61 e 60, e fazendo a diferença entre os resultados, obtem-se qual valor?

j) Comparando o valor obtido na letra i, com o valor obtido na letra d e na letra f, tais valores são próximos ou não entre si?

 
 ATIVIDADE RESOLVIDA
 
    R$60,00 NO PIX

    eng.carlosjfilho@hotmail.com
     
    R$63,00 NO CARTÃO DE CRÉDITO
Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

MAPA - ENGENHARIA ECONÔMICA - 54/2023 [RESOLVIDO]

Seja bem-vindo à atividade M.A.P.A da disciplina Engenharia Econômica. Chegou o momento de você colocar em prática o que aprendeu nas nossas aulas. Para isso, a atividade consiste em uma simulação de uma seleção para estágio no setor financeiro de uma grande empresa do ramo agrícola. Você está participando da seleção e a última etapa do processo seletivo tem como objetivo elaborar um relatório aos entrevistadores sugerindo a aquisição ou não de um determinado equipamento. Para isso, a etapa final da seleção está dividida em três fases:

Etapa 1: a empresa fictícia está analisando a viabilidade econômica de um equipamento no valor de R$ 130.000,00, e está prevista a geração de fluxo de caixa líquido de R$ 22.273,63 no primeiro ano, R$22.414,64 no segundo ano, R$22.411,84 no terceiro ano, R$24.475,21 no quarto ano e R$66.734,77 no quinto ano. Com base nas informações, encontre o Valor Presente Líquido (VPL) e a Taxa Interna de Retorno (TIR) do equipamento, sabendo que a taxa de atratividade do projeto é de R$5% a.a. Além disso, diga se o projeto é viável economicamente ou não.

ATENÇÃO: se a aquisição do equipamento não for viável economicamente para a empresa, passe para a Etapa 3. Caso contrário, ou seja, se a compra for viável economicamente, você deverá entregar a Etapa 2.

Etapa 2: a segunda etapa da seleção consiste em definir a forma de pagamento do equipamento, pois a empresa não deseja, por razões estratégicas, utilizar o capital próprio para fazer o investimento, então optou em recorrer ao mercado financeiro, que ofereceu a seguinte condição de financiamento do equipamento: entrada de 20% do valor do equipamento, e o restante será pago em doze parcelas mensais, sendo cobrada taxa de juros de 1,2% ao mês, no regime de capitalização composto. Com base nas informações, apresente no valor final do equipamento após o pagamento de todas as prestações.

Etapa 3: agora chegou o momento de você sugerir a aquisição ou não do equipamento e, assim, ser aprovado na seleção do estágio. Para isso, elabore um relatório, com as informações das fases 1 e 2. Não esqueça de justificar sua resposta por meio dos cálculos. O objetivo dessa terceira etapa é convencer os entrevistadores de que você merece o estágio.

 
 ATIVIDADE RESOLVIDA
 
    R$60,00 NO PIX

    eng.carlosjfilho@hotmail.com
     
    R$63,00 NO CARTÃO DE CRÉDITO
Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

MAPA - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 54/2023 [RESOLVIDO]

SUPERESTRUTURA DE PONTES EM CONCRETO ARMADO DIMENSIONAMENTO

As pontes desempenham um papel fundamental na superação de obstáculos que interrompem o curso natural de estradas, incluindo corpos d'água como rios, lagos, braços de mar, vales e outras vias. Essas estruturas desafiadoras permitem a continuidade das rotas de transporte e conectividade, facilitando a mobilidade e o comércio.

Compreender a maneira pela qual os elementos estruturais das pontes são projetados é essencial para realizar essas construções com êxito. O processo de dimensionamento envolve uma análise meticulosa da carga que a ponte deverá suportar ao longo do tempo, levando em consideração fatores como o tráfego esperado, as condições ambientais e a vida útil desejada.

Para garantir a segurança e a eficácia dessas estruturas, é necessário atender às normas técnicas relacionadas ao cálculo estrutural. Essas normas estabelecem diretrizes rigorosas para o projeto e a construção de pontes, abrangendo aspectos como resistência dos materiais, distribuição de peso, capacidade de carga e até mesmo considerações sísmicas em áreas propensas a terremotos. Ao seguir essas normas, os engenheiros e construtores podem assegurar não apenas a segurança dos usuários das pontes, mas também sua funcionalidade ao longo do tempo. Além disso, a durabilidade das pontes é uma prioridade, uma vez que elas enfrentam condições climáticas variadas e desgaste constante devido ao tráfego e à exposição aos elementos.

Portanto, as pontes não são apenas estruturas de engenharia, mas também símbolos de conexão e progresso. O conhecimento técnico, aliado ao respeito pelas normas e à busca pela excelência na construção, é essencial para que essas obras desempenhem um papel duradouro em nossa infraestrutura, contribuindo para a conectividade e o desenvolvimento contínuo das sociedades.

Dessa forma, o OBJETIVO DESSA ATIVIDADE É simular a resolução de problemas cotidianos enfrentados no exercício da profissão, dentre os quais estão inclusos os cálculos de dimensionamentos de componentes das pontes e viadutos.

Considere uma longarina de concreto armado biapoiada com 22 metros de comprimento, assim como é apresentado na figura a seguir:

Fonte: adaptada de: El Debs e Takeya (2010). Fonte: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 8681: Ações e segurança nas estruturas - Procedimento. Rio de Janeiro: ABNT, 2004. EL DEBS, M. K.; TAKEYA, T. Introdução às pontes de concreto. São Carlos: Universidade de São Paulo, 2010.

ETAPA 1

COMBINAÇÕES DE ESFORÇOS

Você foi requisitado para determinar a combinação de esforços solicitantes de cálculo para o dimensionamento de parte da superestrutura de uma ponte. Para esta atividade, foram obtidas as seguintes informações: será executada uma longarina de concreto armado com 22 metros de comprimento com os seguintes esforços solicitantes:

- Ações permanentes: MG,k = 1.300,00 kN.m e VG,k = 550,00 kN.

- Ações variáveis (cargas móveis):

MQ,máx = 1.285,00 kN.m e MQ,mín = -500,00 kN.m.

VQ,máx = 244,46 kN e VQ,mín = -208,87 kN.

De acordo com a ABNT NBR 8681:2003, considere: γg : coeficiente de ponderação para as ações permanentes (1,0 ou 1,35).

γq : coeficiente de ponderação para as ações variáveis (1,5).

Ø : coeficiente ponderador das cargas verticais ou coeficiente de impacto (1,415).

- A partir destes dados, você deverá calcular: - Para o momento fletor:

1) O valor máximo de momento fletor resultante da combinação de esforços Md máx (kN.m ou kN.cm).

2) O valor mínimo de momento fletor resultante da combinação de esforços Md mín (kN.m ou kN.cm).

- Para o esforço cortante:

3) O valor máximo de cortante resultante da combinação de esforços Vd máx (kN).

4) O valor mínimo de cortante resultante da combinação de esforços Vd mín (kN).

ETAPA 2

DIMENSIONAMENTO DE ARMADURAS LONGITUDINAIS À FLEXÃO

Nesta etapa, você precisa dimensionar as armaduras sujeitas à flexão da longarina de concreto armado para a ponte que será executada. A partir do máximo de momento fletor obtido na etapa anterior, você deverá calcular:

1) Resistência característica de cálculo à compressão fcd, em MPa e kN/cm².

2) Altura útil da seção transversal d (cm).

3) Posições da linha neutra x (cm).

4) Obter o braço de alavanca z (cm).

5) Área de aço necessária (cm²) e número de barras de aço à flexão.

6) Área efetiva de aço na seção (cm²).

Para esta etapa, foram adotadas as seguintes características:

Fck do concreto: 25 MPa.

Altura da seção transversal: 200 cm.

Largura da seção transversal: 45 cm.

Aço CA-50 com 25mm de diâmetro (As = 4,91 cm²).

ETAPA 3

DIMENSIONAMENTO DE ARMADURAS TRANSVERSAIS DE CISALHAMENTO

Nesta etapa, você precisa dimensionar as armaduras sujeitas ao cisalhamento na longarina de concreto armado para a ponte que será executada. Com base no máximo esforço cortante obtido na primeira etapa de cálculo, você deverá:

1) Verificar se o esforço cortante solicitante de cálculo será menor que a força cortante resistente de cálculo da biela comprimida.

2) Calcular a parcela da força cortante resistida pelos mecanismos complementares de treliça (kN).

3) Calcular a parcela de esforço cortante a ser resistida pela armadura transversal (kN).

4) Encontrar a área de aço a ser usada nas armaduras transversais por unidade de comprimento da longarina (cm²/cm ou cm²/m).

5) Calcular o espaçamento necessário entre os estribos da longarina (cm).

Para esta etapa, foi adotado o seguinte material:

Aço CA-50 com 12,5 mm de diâmetro (As = 1,23 cm²)

*Recomenda-se utilizar duas casas decimais para todos os cálculos*

 
 ATIVIDADE RESOLVIDA
 
    R$60,00 NO PIX

    eng.carlosjfilho@hotmail.com
     
    R$63,00 NO CARTÃO DE CRÉDITO
Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

MAPA - ESTRADAS E RODOVIAS - 54/2023 [RESOLVIDO]

 DIMENSIONAMENTO E PROJETO GEOMÉTRICO DE UMA RODOVIA


As estradas têm uma longa história que remonta aos tempos antigos, quando as sociedades  humanas começaram a se deslocar e a se comunicar entre diferentes regiões. O surgimento das  estradas está diretamente ligado à necessidade de transporte de pessoas, mercadorias e  informações.

Segundo Bernucci et al. (2008) as civilizações antigas, como os sumérios na Mesopotâmia e os  egípcios, construíram algumas das primeiras estradas documentadas por volta de 4000 a.C. Já os romanos são famosos por suas impressionantes estradas, conhecidas como "estradas romanas".

Durante o Império Romano, que existiu entre os séculos I a.C. e V d.C., eles construíram uma  vasta rede de estradas pavimentadas que ligavam todas as partes do império. Essas estradas  eram fundamentais para o transporte militar, o comércio e a administração do império.

As estradas modernas começaram a ganhar impulso com a Revolução Industrial. O surgimento  de novas tecnologias, como a máquina a vapor e a construção de ferrovias, estimulou o  desenvolvimento de estradas mais adequadas para acomodar veículos motorizados. Segundo  Bernucci et al. (2008) no século XX, as estradas de asfalto e concreto se tornaram predominantes em muitas partes do mundo.

Atualmente, as estradas desempenham um papel fundamental na infraestrutura global. Elas são  essenciais para o transporte de pessoas e mercadorias, bem como para a integração econômica  e social.

O OBJETIVO DESSA ATIVIDADE É de determinar a geometria das curvas horizontais e verticais  de trechos de uma rodovia e a distância de visibilidade de frenagem, em projetos geométricos de  rodovias. As etapas deste MAPA são individuais, portanto é importante que você compreenda  cada uma das etapas para que em um futuro projeto tenha capacidade de compreender as

informações.

Esse M.A.P.A. é dividido em três ETAPAS, são elas:

ETAPA 1 – Determinar a distância de visibilidade de frenagem.

ETAPA 2 – Determinar a geometria de curvas horizontais simples e trecho reto entre as curvas.

ETAPA 3 – Determinar a geometria da curva vertical côncava parabólica

ETAPA 1 – DETERMINAR A DISTÂNCIA DE VISIBILIDADE DE FRENAGEM

A Distância de Visibilidade de Frenagem é um conceito fundamental na segurança rodoviária que se refere à distância necessária para um motorista perceber uma situação de perigo à frente, reagir apropriadamente e frear o veículo até parar completamente. Segundo Pimenta (2017), a Distância de Visibilidade de Frenagem (Df) é a distância de visibilidade mínima necessária para que um veículo que percorre a estrada, na velocidade de projeto, possa parar com segurança. Na composição da Distância de Visibilidade de Frenagem temos a Distância de Percepção e Reação e a Distância Percorrida na Frenagem. Portanto calcule a Distância de Visibilidade de Frenagem em três trechos: o primeiro trecho de uma rodovia em que a velocidade de projeto é de 50 km/h, com um aclive (veículo subindo) de 3%; o segundo trecho de uma rodovia com velocidade de projeto de 80 km/h e com um declive (veículo descendo) de -4%; e o terceiro trecho para o trecho de uma rodovia plana com velocidade de 100 km/h.

O coeficiente de atrito entre o pneu e o pavimento é dado pela Tabela 1 com relação às velocidades:

Tabela 1 - Determinação do coeficiente de atrito pneu-pavimento Fonte: adaptada de: Pimenta (2017).

Para o cálculo da Distância de Visibilidade de Frenagem, nos dois trechos, utilize a fórmula a seguir:

Onde:

Df é a Distância de Visibilidade de Frenagem, em metros;

Vp é a velocidade de projeto, em km/h;

i é a declividade da pista, em decimais;

f é o coeficiente de atrito pneu-pavimento.

ETAPA 2 – DETERMINAR A GEOMETRIA DE CURVAS HORIZONTAIS SIMPLES

Curvas horizontais são um componente fundamental na geometria de rodovias e estradas, desempenhando um papel crítico na segurança e eficiência do tráfego. Elas são projetadas para permitir que os veículos mudem de direção gradualmente, mantendo um fluxo suave e seguro de tráfego em rodovias e estradas. Segundo Antas (2010), as curvas horizontais são projetadas para acomodar a necessidade de virar um veículo em uma estrada sem causar abruptas mudanças de direção. Elas permitem uma transição suave entre retas e curvas, tornando a condução mais segura e confortável. Nesta etapa do MAPA será executado o projeto geométrico horizontal de um trecho de uma estrada, onde é possível identificar duas curvas horizontais simples, ou duas curvas horizontais circulares e um trecho reto, conforme é mostrado na Figura 1. Para dimensionar a curva horizontal, você deverá encontrar o desenvolvimento da curva (D) em metros, a tangente da curva (T) em metros e as estacas onde estão o Ponto de Curva (PC) e o Ponto de Tangente (PT), tanto para a curva 1 como para a curva 2, além de encontrar o comprimento, em metros, do trecho reto que compreende a distância entre o final da curva 1 ponto PT e o início da curva 2 ponto PC2.

Figura 1 - Trecho para cálculo das curvas horizontais simples Fonte: o autor.

A execução do projeto geométrico de curvas horizontais deve ocorrer no sentido indicado pela seta na Figura 1, portanto serão executadas as curvas 1 e 2, sendo necessários um cálculo para cada uma das curvas.

Dados das curvas: Para a curva 1, temos:

- Ponto de Interseção das Tangentes (PI) Estaca = [1242+18,9]. - Ângulo Central da curva (AC) em graus = 25°28’.

- Raio da curva (R) em metros = 450 m. Para a curva 2, temos:

- Ponto de Interseção das Tangentes (PI) Estaca = [1355+ 14,8].

- Ângulo Central da curva (AC) em graus = 38°44’.

- Raio da curva (R) em metros = 600m.

Trecho Reto Distância entre PT do primeiro trecho e PC do segundo trecho Formulário para resolução:

ETAPA 3 – DETERMINAR A GEOMETRIA DA CURVA VERTICAL CÔNCAVA PARABÓLICA

Curvas verticais são elementos fundamentais na geometria de uma rodovia que permitem que a  estrada acomode variações significativas de elevação ou declive ao longo do seu percurso. Essas curvas são projetadas para garantir que os motoristas possam navegar suavemente por  mudanças na inclinação da estrada, garantindo a segurança e o conforto durante a viagem.  Segundo Antas (2010), as curvas verticais são projetadas para acomodar mudanças na elevação  da estrada, como subidas e descidas. Elas permitem que os veículos subam ou desçam  gradualmente, evitando mudanças abruptas de inclinação que podem ser perigosas ou desconfortáveis para os motoristas.

A geometria de uma curva vertical é determinada a partir da verificação do comprimento mínimo  para esta curva(Lvmin), baseando-se nas inclinações das rampas (d1 e d2) e na distância de  visibilidade de frenagem (Df), que ajudará na verificação de duas hipóteses: uma para o veículo e  o objeto estarem dentro do trecho curvo, ou seja, o comprimento da curva maior do que a  distância de visibilidade de frenagem (Lv>Df); e outro para o veículo e o objeto fora da curva  vertical, ou seja, o comprimento da curva menor do que a distância de visibilidade de frenagem  (Lv<Df). A partir da hipótese verdadeira será determinado o comprimento mínimo da curva  vertical. A Figura 2 exemplifica as hipóteses.


 
 ATIVIDADE RESOLVIDA
 
    R$60,00 NO PIX

    eng.carlosjfilho@hotmail.com
     
    R$63,00 NO CARTÃO DE CRÉDITO
Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

MAPA - TUBULAÇÕES E INSTALAÇÕES INDUSTRIAIS - 54/2023 [RESOLVIDO]

Você foi contratado por uma empresa para fazer a instalação do sistema de alimentação de água para a empresa. Sendo assim o primeiro passo que foi determinado é o dimensionamento da tubulação e dos dispositivos de bombeamento. Na Figura 1 você encontra o projeto da linha de alimentação, desde a fonte de água até o reservatório principal da fábrica.

Figura 1 – Projeto de tubulação para alimentação de água

Fonte: o autor.

Após um levantamento, você conseguiu as informações constantes na Tabela 1, a respeito da operação do sistema em estudo representado na Figura 1.

Diâmetro da Tubulação (mm) 45

Temperatura do óleo ( C) 30

Viscosidade água (N · s/m²) 0,7978EXP-3

Densidade da água (kg/m³) 1000

Vazão do sistema (L/s) 10

Nº Cotovelo de 90° flagelado 2

Nº Cotovelo longo de 45° flagelado2

Eficiência da Bomba 77%

Válvula Gaveta 50% aberta 1

Tabela 1 – Dados de operação do sistema

Fonte: o autor.

Os dados informados na tabela foram fornecidos apenas para fins didáticos. Logo, eles podem não

corresponder a dados obtidos de processo reais.

Desta forma é solicitado que:

a) Baseado nos dados fornecidos calcule a perda de carga total do sistema, entre os reservatórios. Considere que a tubulação será de ferro galvanizado.

b) Considerando toda a perda de carga do sistema, calcule a pressão da bomba para vencer a diferença de altura.

c) Para a conexão da tubulação ao tanque do reservatório da fábrica é necessário que pouca vibração seja passada, com isso descreva qual a melhor forma de conexão para evitar essa vibração, e explique.

d) Obter as informações de um sistema é muito importante para o controle de processos. O tubo de Pitot é um dos exemplos de dispositivos utilizados para medir dados do sistema. Defina o funcionamento do tubo de Pitot.

 
 ATIVIDADE RESOLVIDA
 
    R$60,00 NO PIX

    eng.carlosjfilho@hotmail.com
     
    R$63,00 NO CARTÃO DE CRÉDITO
Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

MAPA - CONFIABILIDADE DE SISTEMAS - 54/2023 [RESOLVIDO]

Suponha que você seja o(a) encarregado(a) da gestão da manutenção de uma frota de viaturas da polícia em uma grande capital. Ao revisar o histórico de manutenção da viatura específica com o número 1503, você encontrou os detalhes da Tabela 1.

Esta tabela registra as Datas de Ocorrência (indicando quando o problema foi identificado) e as Datas de Finalização (indicando quando a questão foi resolvida). Além disso, há uma coluna que classifica as situações como "OP" (em operação) ou "FOP" (fora de operação). No caso das situações "FOP", também foram registradas as horas de inatividade.

É importante observar que as manutenções realizadas enquanto a viatura estava em operação geralmente envolviam substituições de peças de menor importância para a segurança do veículo, permitindo que a viatura continuasse em funcionamento. Em alguns casos, a necessidade de substituição era identificada, e a peça correspondente era solicitada, mas sua chegada poderia levar alguns dias.

Premissas a serem consideradas:

Para o cálculo do MTBF (do inglês significa Tempo Médio Entre Falhas), serão consideradas apenas as ocorrências que deixaram a viatura fora de operação (FOP).

A viatura deve ser considerada disponível para uso 24 horas por dia, independentemente da escala de serviço dos policiais, devido às demandas da polícia.

Considere uma aproximação de 730 horas por mês e 8.760 horas por ano.
 


Tabela 1 - Histórico de manutenções da viatura 1503
Fonte: o autor.

ETAPA 1:
Com base nas informações apresentadas, calcule:

a) O MTBF anual (em horas) para 2022.

b) O MTBF mensal (em horas) para os meses de:
- janeiro/2022;
- agosto/2022;
- setembro/2022;
- novembro/2022.

c) A Disponibilidade anual para 2022, em porcentagem.

d) A Disponibilidade mensal (em porcentagem) para os meses de:
- janeiro/2022;
- agosto/2022;
- setembro/2022;
- novembro/2022.

ETAPA 2:
Analisando o valor da Disponibilidade anual para 2022, você a classificaria como Classe Mundial? Sim ou não? Justifique a sua resposta.

 
 ATIVIDADE RESOLVIDA
 
    R$60,00 NO PIX

    eng.carlosjfilho@hotmail.com
     
    R$63,00 NO CARTÃO DE CRÉDITO
Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

As Dez Mais Lidas...

Leia também...

Um sistema linear consiste em um conjunto de equações lineares que compartilham as mesmas variáveis. Não há restrição quanto ao número de eq...