27/04/2014

Motor de Indução Trifásico

Motor de Indução Trifásico

O que caracteriza um motor de indução é que só o estator é ligado à rede de alimentação. O rotor não é alimentado externamente e as correntes que circulam são induzidas eletromagneticamente pelo estator. Daí o nome de motor de indução. O motor de indução trifásico é composto do Estator, do Rotor & de outros componentes.






Componentes do Estator

Carcaça: é o suporte do conjunto, de construção robusta em ferro fundido, aço ou alumínio injetado, resistente à corrosão e com aletas.
Núcleo de chapas: as chapas são de aço magnético, tratadas termicamente para reduzir ao mínimo as perdas no ferro.
Enrolamentos do estator: três conjuntos iguais de bobinas, uma para cada fase, formando um sistema trifásico ligado à rede trifásica de alimentação.

Componentes do Rotor

Eixo: transmite a potência mecânica desenvolvida pelo motor. É fabricado em liga de aço, tratado termicamente, para evitar problemas com empenamento e fadiga.
Núcleo de chapas: as chapas possuem as mesmas características das chapas do estator.
Barras e anéis de curto-circuito: são de alumínio injetado sob pressão numa única peça.
Chaveta:  elemento de máquina empregado em uniões móveis com o objetivo de acoplar peças do equipamento ao seu eixo para evitar deslizamentos.

Outras partes do motor de indução 

Tampas [alojamentos de mancais]; Ventoinha; Tampa defletora; Caixa de ligação; Terminais; Mancais de Rolamentos; Placa de Identificação.

Leia também:

Motor Elétrico - Aula 1
Motor Elétrico - Aula 2

21/04/2014

Válvulas de retenção para tubulação de fluidos líquidos


As válvulas de retenção são dispositivos destinados a permitir a passagem dos fluidos numa só direção. São instaladas na tubulação de saída [recalque] para evitar, caso ocorra uma inesperada paralisação do bombeamento, que o golpe causado pelo retorno do fluido cause danos à bomba.
Válvula de Retenção [em PVC com vista explodida]

São peças robustas, fabricadas em PVC, ferro fundido ou aço, e dotadas de dimensões avantajadas. Podem vir equipadas, também, com um "by-pass" de pequeno diâmetro, para permitir o enchimento da bomba e tubulação de sucção por ocasião da escorva. 
Válvula de Retenção [em bronze]
As válvulas de pé são peças conectadas na extremidade de tubulações de sucção [em instalações de bombas não afogadas], assegurando a passagem do fluido somente em direção à bomba, permitindo que as tubulações de sucção mantenham-se sempre cheias, mesmo quando a bomba for paralisada. 


Válvula de Pé [em bronze]
Nessas condições, quando ela for novamente ligada, poderá iniciar o bombeamento sem dificuldades. Se o tubo de sucção estiver vazio, as bombas comuns não conseguirão recalcar água. Haverá necessidade de escorvá-las. A escorva é o processo de enchimento da bomba e a respectiva tubulação de sucção com o fluido bombeado. Nessa operação, a válvula de pé é indispensável, pois, se ela não existir, todo fluido introduzido voltaria para o tanque

Para tal, o dispositivo de vedação das válvulas deve ser perfeito. Do contrário, invalida a finalidade da peça, tornando difícil o início de operação das bombas. Partículas de areia ou outros materiais em suspensão, que se alojam no dispositivo de vedação como, ainda, o desgaste, corrosão ou incrustações, podem prejudicar o fechamento perfeito da válvula. 

Há necessidade de limpezas ou de recondicionamentos periódicos. As válvulas de pé vêm, geralmente, acompanhadas de um crivo destinado a reter corpos estranhos. Como as aberturas estão sujeitas à obstrução, é necessário que a área total das passagens seja maior que a seção do tubo de sucção. Indica-se, como dado prático, o valor de 2 ½ vezes a seção do tubo.

20/04/2014

Máquinas de roscar tubos

Os tubos utilizados em instalações hidráulicas são fornecidos em varas de comprimento aproximado de 6 metros. Portanto, quando precisamos de pedaços menores, temos que cortar e roscar.

As uniões são os pontos críticos de qualquer tubulação e dependem quase que exclusivamente da qualidade das roscas, do tubo e da conexão. As conexões, pelo sistema de fabricação em série e controle de qualidade, apresentam roscas altamente eficazes.

Já os tubos, sujeitos a corte e por serem roscados na obra, onde não existem recursos de uma fábrica de conexões, facilmente apresentam deficiência na rosca.
A rosca do tubo feita com a tarraxa manual exige uma boa qualificação do operador, além de atenção e cuidados especiais.

A utilização da máquina de roscar, que permite corte e roscagem perfeitos, é indicada como a melhor forma de obter vedação perfeita, pois as roscas por ela produzidas são de boa qualidade.

De um modo geral, as máquinas de roscar apresentam um cabeçote de corte, de roscagem, mandril para fixação do tubo, sistema de lubrificação e resfriamento de corte, e escareador.

A figura a seguir nos dá a visão de uma rosqueadeira automática

Rosqueadeira Automática

As máquinas de roscar fazem geralmente três operações: cortam, escareiam, roscam. Com o acoplamento de acessórios especiais, as máquinas de roscar podem efetuar serviços em tubos de bitolas maiores [até 4 polegadas], bem como fazer operações de roscar niples e prisioneiros. Como são equipamentos de custo mais elevado, só se tornam econômicas quando empregadas para produção de grande quantidade de roscas e cortes.

A tarraxa é uma máquina-ferramenta usada pelo encanador industrial e se destina a fazer roscas sempre que se empregam tubos de ferro em instalações de água e gás. Existem dois tipos de tarraxa: de catraca e fixa. A tarraxa de catraca diminui o esforço físico na operação de abertura da rosca, sendo mais aconselhada pela facilidade de manejo, mesmo em trabalho de emergência.

19/04/2014

Tubulações em aço galvanizado


Tubulações em aço galvanizado

Os tubos galvanizados são condutores cilíndricos de aço que recebem uma proteção de zinco, por galvanoplastia, empregados nas instalações de águas potáveis e de gás. Alguns países os utilizam na rede de ventilação primária das construções civis.


São fabricados sem e com costura. O tubos com costura são mais utilizados, por serem mais leves e mais baratos. A costura ou solda é feita por processo eletrônico, e os tubos são inspecionados pelo fabricante, que os submete a teste de verificação de vazamento. Quando há vazamento, são descartados.

Os tubos sem costura são mais pesados e mais resistentes. Por isso são mais utilizados nas indústrias, em instalações de vapor ou instalações sujeitas a pressões mais elevadas.


Os diâmetros mais empregados são encontrados na tabela abaixo:



Tabela de Tubos

A legislação em vigor proíbe curvar tubo galvanizado, porque nos lugares curvados a galvanização é prejudicada, iniciando-se a oxidação nesse ponto.
Os tubos galvanizados são fabricados com 6 metros de comprimento. 

Portanto, quando precisamos de pedaços menores, temos que cortar, fabricar roscas e efetuar as uniões. As uniões são os pontos críticos de qualquer tubulação e dependem quase que exclusivamente da qualidade das roscas, do tubo e da conexão.

As Dez Mais Lidas...

Leia também...

Os quatro tempos de um motor de combustão

Este ciclo foi montado com sucesso pelo engenheiro alemão Nikolaus Otto em 1876, e posteriormente por Rudolf Diesel.  Os quatro tempos...