Produtividade & Salários

Um dos dez princípios de Economia propostos é que nosso padrão de vida depende de nossa capacidade de produzir bens e serviços. Podemos observar como esse princípio funciona no mercado de trabalho. Especificamente, nossa análise de demanda de mão-de-obra mostra que os salários são iguais à produtividade, medida pelo valor do produto marginal do trabalho [MANKIW, 2005].

Esta relação nos mostra a disposição do mercado em remunerar melhor os trabalhadores mais qualificados, pois esses tornam-se mais produtivos [conceito tecnológico] quando existe demanda alta em relação a uma determinada categoria de trabalhadores. Em uma empresa competitiva e maximizadora de lucros esta situação vai causar uma maior necessidade de contratação desse trabalhador produtivo, aumentando o valor do salário de equilíbrio como ferramenta de contratação de mão-de-obra. Esta variação irá refletir na mudança do valor do produto marginal do trabalho.

Quando comparamos a remuneração de Engenheiros, Projetistas Mecânicos, Desenvolvedores de programas para computador e robótica - onde é grande a demanda e pequena a oferta destes profissionais - com Auxiliares de Produção por exemplo - onde demanda e oferta de mão-de-obra são totalmente inversas devido à baixa produtividade tecnológica que estes profissionais representam no ciclo produtivo devido à baixa qualificação exigida para desempenhar essa função.

O crescimento da produtividade [agregado pela qualificação profissional] reflete no aumento do valor do produto marginal do trabalho. A teoria e a História confirmam a forte ligação entre a produtividade tecnológica e os salários reais.

+ Acessadas

Leitores do Blog

Cadastro

Cadastre-se para receber postagens atualizadas:

Digite seu Email

EnviarFeedBurner