Processos de Fabricação.

Furadeiras Máquinas operatrizes que têm por função principal executar furos nos mais diversos tipos de materiais. Para tanto o motor da furadeira aplica uma alta velocidade de rotação a uma ou mais brocas (ferramentas cortantes) que serão responsáveis pela remoção de material. Para as diferentes condições de material requeridas, foram criados diferentes modelos de furadeiras, em cuja aplicação devem ser avaliados os seguintes aspectos: forma da peça, dimensões da peça, número de furos a serem abertos, quantidade de peças a serem produzidas, diversidade no diâmetro dos furos de uma mesma peça, e grau de precisão requerido. Na furação, uma broca de dois gumes executa uma cavidade cilíndrica na peça. O movimento da ferramenta é uma combinação de rotação e deslocamento retilíneo (ao longo do furo). A broca é montada em uma haste e começa a ser centrada por suas guias em uma máscara de furação. Uma variante da furação é o alargamento de furos, onde uma ferramenta similar à broca, porém, com múltiplos gumes, remove material de um furo, aumentando seu diâmetro, ao mesmo tempo que lhe confere um alto grau de acabamento. As furadeiras podem ser classificadas em: Furadeiras portáteis: A força de avanço vem o operador que preciona a furadeira contra o material. As furadeiras de uso doméstico classificam-se como portáteis. É utilizada comumente em peças já montadas em que o local a ser perfurado impede a utilização de furadeiras mais precisas. Furadeiras sensitivas: Utilizadas para pequenas furações. O avanço do mandril se dá por meio de uma alavanca que o operador faz avançar aos poucos, sentindo assim o avanço da broca dentro do material. Por essa razão são chamadas de sensitivas. Furadeiras de coluna: Caracterizam-se por apresentarem uma coluna de união entre a base e o cabeçote. Esse arranjo possibilita a furação de elementos com as formas mais diversificadas, singularmente e em série. Furadeiras de árvores múltiplas: Empregada para trabalhos em uma peça que tem de passar por uma série de operações como furar, contrapuncionar, mandrilar, alargar furos e rebaixar cônica ou cilindricamente. Furadeiras radiais: Seu sistema de cabeçote móvel elimina a necessidade de reposicionamento da peça quando se deseja executar vários furos. Pode-se levar o cabeçote a qualquer ponto da bancada, reduzindo o tempo de produção. Recomendada para peças de grandes dimensões a serem furados em pontos afastados na periferia. Furadeiras múltiplas de cabeçote único: Originaram-se da aplicação de cabeçotes de vários mandris a furadeiras de coluna. São mais úteis em peças a serem produzidas em série quando ocorre a necessidade de furação de muitos pontos em um ou mais planos. Furadeiras múltiplas de múltiplos cabeçotes: Nessas furadeiras mais de um cabeçote age na peça a ser furada, eliminando a necessidade de reposicionar e virar a peça cada vez que o plano de furação for alterado. São utilizadas para economizar tempo, uma vez que o tempo total de perfuração fica condicionado ao furo mais profundo. Furadeira de comando numérico: Opera de acordo com um programa, permitindo uma maior precisão e velocidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dúvidas? Sugestões? Fale com o Professor Carlão!

Leia também...

"Mais um dia se passou e não usei isso pra nada". Será mesmo!?

A imagem abaixo vem circulando nas redes sociais com a [despretensiosa] conclusão de que vivemos sem a necessidade da fórmula que calcula o...

Cadastro

Cadastre-se para receber postagens atualizadas:

Digite seu Email

EnviarFeedBurner